Orientações de Coleta


COLETAS DE TRIAGEM PRÉ-NATAL E NEONATAL

Triagem Pré-Natal

Procedimentos de coletas

Passo a passo

Materiais necessários

Todo material necessário deve estar ao seu alcance. Lanceta estéril, algodão, álcool a 70%, formulário de coleta devidamente preenchido com os dados do paciente com letra legível e luvas.

Área da punção e procedimentos

No caso da gestante a ponta do dedo anelar é mais indicada; fazer a assepsia com álcool a 70% do local a ser puncionado e secar completamente. Fazer uma leve compressão, seguida por uma descompressão no local puncionado para aumentar a circulação sanguínea e obter uma boa gota de sangue. Aplique o sangue na área demarcada do papel filtro, sendo importante colocar somente de um lado. Após preencher o primeiro circulo, repetir o procedimento com todos os outros círculos. O sangue deve atingir obrigatóriamente o verdo do papel filtro para que seja possível a análise da amostra.

     








Coletas de Triagem Pré-Natal

As gestantes devem ser orientadas sobre as duas fases.

A 1ª fase deve ser coletada no início da gestação. Já a 2ª fase a partir da 28ª semana de gestação.

Caso a gestante tenha alguma alteração em teste rápido , deve-se anotar no campo obeservação do papel filtro e enviar tubo de soro para confirmação.

2ª fase do Programa da Gestante: As gestantes que foram detectadas alterações para Toxoplasmose IgM, HIV ou Sífilis na 1ª fase de sua gestação ou anteriormente, o material para a coleta deverá ser papel filtro e  mais 1 tubo de soro.

Coletas tardias de pacientes com tempo gestacional acima de 28ª semanas será realizado apenas a 1ª fase.

Coletas tardias de 24ª a 27ª semana, neste caso pode coletar a segunda fase com no mínimo 30 dias de diferença da primeira.

Coleta tardia (Pré-Natal): a partir da 24ª semana de gestação, coletar papel filtro 1ª fase + 1 tubo de soro.




Coletas do Teste do Pezinho

Procedimentos de coletas

Passo a passo

Materiais necessários

Todo material necessário deve estar ao seu alcance. Lanceta estéril, algodão, álcool a 70%, formulário de coleta devidamente preenchido com os dados do paciente com letra legível e luvas.

        


Área da punção e procedimentos

No caso de recém-nascido a punção deve ser nas laterais do calcanhar como mostra as figuras abaixo.
Fazer a assepsia com álcool a 70% do local a ser puncionado e secar completamente. Fazer uma leve compressão, seguida por uma descompressão no local puncionado para aumentar a circulação sanguínea e obter uma boa gota de sangue. Aplique o sangue na área demarcada do papel filtro, sendo importante colocar somente de um lado. Após preencher o primeiro circulo, repetir o procedimento com todos os outros círculos. O sangue deve atingir obrigatóriamente o verso do papel filtro para que seja possível a análise da amostra.

É imprescindível seguir o Protocolo do Ministério da Saúde de que a coleta deve ser realizada entre o 3º e o 5º dia de vida. A idade não altera a qualidade do exame, mas sim a eficácia do tratamento nos casos alterados.



A partir do 30º dia de vida é considerada coleta tardia.
Coletar somente papel filtro.




Dicas Importantes


ARMAZENAGEM DO PAPEL FILTRO

 O Papel Filtro é a parte mais sensível do cartão de coleta, destinada para a absorção e transporte do sangue. Esse papel filtro deve estar em conformidade com o padrão internacional estabelecido, permitindo a analise quantitativa;

 Os cartões de coleta (antes do uso) devem ser armazenados em local fresco e seco, longe do sol e da poeira;

 Nunca guarde o cartão de coleta com papel-filtro ainda não utilizado em geladeira, que são locais com alto índice de umidade que modificam suas características fundamentais de absorção;

 Podendo ser colocados em envelopes ou sacos plásticos;

COLETA EM PAPEL FILTRO

Faça uma leve compressão, seguida por uma descompressão no local puncionado para aumentar a circulação sanguínea para se obter uma boa gota de sangue;

Espere formar uma GRANDE GOTA de sangue antes de colocá-la no papel;

ENCOSTE DELICADAMENTE O FILTRO NA GOTA

Aplique o sangue na área demarcada do papel filtro, sendo importante colocar somente de um lado. Após preencher o primeiro círculo, repetir o procedimento com todos os outros círculos. Uma a duas gotas é o suficiente para preencher todo o círculo;


O tempo de secagem do cartão de coleta é de uma hora.

Não há necessidade de enviar os cartões de coleta protegidos por papel alumínio ou papel toalha. Depois de secos, é só colocá-los no envelope resposta e enviar ao IPED/APAE.

Amostras com mais de 30 dias de coletadas ou insuficientes para a realização do exame, são canceladas e são solicitadas uma nova amostra.

Procurar preencher todos os círculos do papel filtro com sangue, evitando assim que uma nova coleta seja solicitada por volume insuficiente de amostra.

É fundamental o preenchimento de todas as informações do cartão de coleta, preferencialmente anotar todos os dados com letra de forma.

As coletas realizadas na sexta-feira podem ser enviadas ao IPED/APAE na segunda-feira, desde que não fiquem expostas ao sol, ar-condicionado ou ventilador.

Quando houver necessidade de material, como lanceta, papel filtro do pré-natal (1ª e 2ª fase), papel filtro do neonatal, relação nominal e envelope, a solicitação poderá ser feita junto com o envio de amostras no próprio envelope, por telefone ou e-mail.

Todas as gestantes devem ser orientadas sobre a importância do Teste do Pezinho, que deve ser realizado entre o 3º e o 5º dia de vida do bebê.

COMO DEVE FICAR A COLETA EM PAPEL FILTRO

Para secar na estante deve ficar dessa forma:







Amostras Inválidas

Amostra insuficiente





Amostra saturada



Amostra molhada



Amostra Válida
         


Fazer verificação imediata da qualidade da amostra coletada, é necessário que o sangue tenha atravessado o papel filtro (os dois lados);

Amostras insuficientes e mal coletadas serão rejeitadas pelo Laboratório, exigindo reconvocação do paciente para uma nova amostra e atrasam possíveis diagnósticos.

A observância de tais recomendações, certamente agilizará a realização dos exames, evitando ou minimizando reconvocações e outros transtornos aos usuários.

Recoleta (Soro ou Sangue)

Há vários motivos pelos quais solicitamos uma recoleta: amostras não eluídas, amostras insuficientes ou inadequadas, amostras alteradas ou amostras hemolisadas. No caso da gestante que já teve o bebê ou sofreu aborto espontâneo, recoletar assim mesmo.

Identificar corretamente o tubo de soro ou sangue total com o nome completo e data de nascimento da gestante ou da criança;
Enviar junto com o tubo de soro ou sangue a via de reconvocação enviada pelo setor de Busca Ativa do IPED/APAE, no caso de extravio desta via, os dados do paciente devem ser relacionados em um papel e enviados junto com o tubo
;

FATORES QUE PROPICIAM A HEMÓLISE
  • Garroteamento prolongado (Máximo 1 minuto).
  • Escolha do material ( Calibre da Agulha).
  • Evitar de puxar o embolo da seringa bruscamente.
  • Presença de álcool na pele no momento da coleta.
  • Não preenchimento do volume do tubo.
  • Tapinhas.
  • Agitação.
  • Calor ou Frio.
Enviar o tubo de soro ou sangue ao IPED/APAE o mais rápido possível, colocando o tubo em embalagem térmica ou caixa de isopor, com gelo reciclável (gelox).


TRANSFUSÃO SANGUÍNEA

É indicado que o recém-nascido realize a coleta da triagem neonatal antes da transfusão de hemoderivados, para evitar que os constituintes do sangue do doador interfiram nos testes. Caso a transfusão ocorra antes da coleta é indispensável identificar no cartão de coleta, campo transfudido e a data do procedimento. Os recém-nascidos que necessitam de transfusão antes das 48 horas de vida e sem início do aleitamento devem coleta uma 1ª amostra para triagem de hemoglobinopatias e hipotireoidismo congênito e uma 2ª amostra, do 3 ao 5 dia de vida, para dosagem dos demais metabólitos.
Os analítos derivados do concentrado de hemácias, hemoglobinas, glico-6-fosfato desidrogenase (G6PD) e enzima eritrocitária galactose-1-fosfato uridiltransferase (GALT), sofrem interferência do doador e pode resultar em erro no diagnóstico. Para excluir qualquer influência do recebimento de hemoderivados os neonatos que coletaram somente após a transfusão devem repetir os exames, citados anteriormente, após 120 dias da última transfusão.

Referência:
* Manual Técnico Triagem Neonatal Biológica - Brasília - DF, 2016.

Afim de reciclar e aprimorar os conhecimentos dos profissionais envolvidos, o IPED/APAE está a disposição para a realização de treinamento destes profissionais.

Mais informações no telefone: (67) 3348-7800

       

Lembre-se: Prevenir é o melhor remédio!

Voltar para cima